EU DIGO:

SERÃO SEMPRE BEM-VINDOS AO MEU ESPAÇO.
MUITO OBRIGADA PELA VOSSA VISITA

.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Na luz indecisa que...

S. M.Pompi
Na luz indecisa que deixa adivinhar
a manhã, a névoa que impregna o ar
desfaz-se quando os dedos de fogo do sol
a limpam, restituindo ao dia
a sua transparência. Mas a mulher que
ocupa o centro da paisagem não
se apercebe da mudança. O seu corpo
pertence à terra, e entrega-se
ao ritmo subterrâneo das raízes, ouvindo
o canto que regula a passagem
das estações. Um desejo de sombra apodera-se
da sua alma; e conta o tempo que falta
para a noite, para se entregar ao silêncio
do mundo, no lento eclipse
dos sentimentos.

 (Nuno Júdice)


................................

>Nuno Júdice nasceu em 1949 (Algarve). Licenciado em Filologia Românica, na Faculdade de letras de Lisboa. É professor da Universidade Nova de Lisboa, onde se doutorou em 1989, com uma tese sobre Literatura Medieval. Passou alguns períodos no estrangeiro: em Berna, na Suiça, na década de 80, e em Paris, onde termina em 2003 uma estadia de seis anos como Conselheiro Cultural e Director do Instituto Camões.

4 comentários:

  1. adorei o seu blog (: * sigo


    http://tryinghard-to-forgetyou.blogspot.pt/ segues o meu :$ ?

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Agostinho Barros.
    Muito obrigada pela visita e acompanhamento.
    Certamente, irei "LÁ" logo que possa!
    Saudação amiga.

    ResponderEliminar
  3. Gosto da poesia do Nuno Júdice.
    Escolheste um magnífico poema (ele tem muitos...).
    Betinha, minha muito querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Olá,meu bom amigo Nilson.
    Muito obrigada pela tua opinião,é sempre um prazer,receber-te no meu cantinho!
    HOJE SIM...é que te posso retribuir:
    Um bom fim de semana.:-))
    Beijinho.

    ResponderEliminar