EU DIGO:

SERÃO SEMPRE BEM-VINDOS AO MEU ESPAÇO.
MUITO OBRIGADA PELA VOSSA VISITA

.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012


Soneto XVII

Pablo Neruda 

Não te amo como se fosses uma rosa ou um topázio
Ou a flecha de cravos, que o fogo lança.
Amo-te como certas coisas escuras devem ser amadas,
Em segredo, entre a sombra e a alma.

Amo-te como a planta que não floresce e carrega,
Escondida dentro de si, a luz de todas as flores.
E, graças ao teu amor, escura no meu corpo
Vive a densa fragrância que cresce da terra.

Amo-te sem saber como ou quando ou de onde.
Amo-te tal como és, sem complexos nem orgulhos.
Amo-te assim porque não sei outro caminho além deste

Onde não existo eu nem tu.
Tão perto que a tua mão no meu peito é a minha mão.
Tão perto que, quando fechas os olhos, adormeço

terça-feira, 27 de novembro de 2012





Eu cantarei de amor tão docemente
por Luís Vaz de Camões



Eu cantarei de amor tão docemente,
Por uns termos em si tão concertados,
Que dous mil acidentes namorados
Faça sentir ao peito que não sente.

Farei que o amor a todos avivente,
Pintando mil segredos delicados,
Brandas iras, suspiros magoados,
Temerosa ousadia e pena ausente.

Também, Senhora, do desprezo honesto
De vossa vista branda e rigorosa,
Contentar-me-ei dizendo a menor parte.

Porém, para cantar de vosso gesto
A composição alta e milagrosa,
Aqui falta saber, engenho e arte.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

BRINQUEI TANTO, MAS TANTO COM ESTES CARTÕESs..E...E...

UMA HOMENAGEM AQUELES QUE EM VIDA TANTO ME AMARAM!

"Hoje é mesmo um desabafo"

È um texto verídico e elaborado por mim.
Por vezes as emoçoes saõ tão intensas
que permitem  escrever com uma sensação,assim...
Encontrei o desenho,acima ilustrado.
Sem dúvida que somos uma máquina humana feita de emoções!
Numa fração de segundos,senti um recuo á minha infãncia em sucessivas recordaçoes!
O meu coração disparou e  lembranças lindas afloram-se  a um  estado de emoções!
Recordei com saudade,quando minha mãe me dava dez tostões.
Saía correndo á loja do Senhor David e comprava  a cartolina.
Brinquei tanto,mas tanto com estes cartoes em que tínhamos de  recortar a boneca e a roupinha adequada!
Seriam os jogos didáticos da época?
Talvez?
Não sei!
Após concluir os "deveres" da escola,ao serão,minha mãe sentava-se junto de mim.

DIZIA-ME ENTÃO:
-Toma atençaõ.
Com todo o cuidado,ensinava-me a recortar a roupinha e aplicar na boneca.
Era um delirio!
Levava para a escola,porque,infelizmente nem todos podiam ter esse luxo!
Rápidamente eu dava ás amigas(sempre fui assim,não sou mais nem menos,sou simplesmente EU!)
No dia seguinte,valia-me o Sr.Silva o (carteiro).

A mãe era funcionaria dos CTTS.
O Sr Silva dizia:
-Vá lá, hoje sou eu que ofereço uma folha á sua miuda!
Os meus olhos deviam ter um brilho tão intenso,que minha mãe sorria e dizia:
-Ó Sr.Silva, estraga-me a MINHA FILHA  com mimos!
Aos poucos, fui aprendendo que nem tudo se pode dar,mesmo que seja contra a  nossa vontade.
Assim, deste modo educativo,meus pais e família transmitiram-me a sua pobre e nobre sabedoria.
Hoje já chorei,já ri e já guardei mais este momento lindo bem lá no fundo do meu 

"EU"
Peço desculpa a quem me possa ler,porque eu, não tenho talento nem de escritora ou poetisa!
Eu escrevi  num"reconhecimento"e o  meu  coração


"O SUBLINHOU."

Betinha Correia