EU DIGO:

SERÃO SEMPRE BEM-VINDOS AO MEU ESPAÇO.
MUITO OBRIGADA PELA VOSSA VISITA

.

sábado, 22 de abril de 2017

PINTO O AZUL DO CÉU...


Pinto
Pinto o azul do céu
e nele espelho
a melancolia da tua alma.
Sei vibrar os acordes
da nostalgia e dos
tons amarelos do pôr do sol.
Saí pela manhã
da casa dos fantasmas
e despedacei a dor do desamor.
Gritarei bem alto
o som do solene
rompimento com o absurdo.
Tudo tem sentido
e meu coração
poisa, preguiçosamente,
no mar,no lago em frente
de casa,nos pássaros,
na primavera da nossa inquietação.
Não quero alardear soberba
mas incendiar o meu
peito com o calor do teu sexo.
Amanhã serei o rosto
da sofreguidão e da tua
alegria de viver.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Retalhos da Vida!!!



Retalhos da vida
A vida é uma colcha de retalhos
que vamos encontrando no balaio da vida.
Dia, após dia, costuramos a nossa dor, o nosso amor...
Tecemos verdades, mentiras, fuxicos...
Cortamos, aparamos, emendamos e
até mudamos a cor.
Assim vamos tecendo a nossa colcha de retalhos,
que um dia será estendida sobre a cama do cenário da vida,
estampando o nosso passado de lembranças coloridas.
Deixaremos no balaio da vida,
pedaços de amor, restos de vida, pontas de tristeza, trapos de dor.
Fiapos de esperança, emaranhado de linhas que outros irão desembaraçar...
Novelos de lã tricotarão casacos de luxo.
Meadas de linhas serão tecidas pela mão do pobre, que, tece, tece e re-tece,
mas que casaco nunca veste para cobrir a sua nudez.
Retalhos da vida, sobras de sonhos
que não se realizam.

A.D.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

FELIZ ANIVERSARIO,MINHA MÂE!!!

MINHA MÁE.
HOJE SERIA O TEU ANIVERSÁRIO
QUARENTA E DOIS ANOS
DOIS DIAS DEPOIS DEIXASTE-ME
PORQUÊ MINHA MÃE?
TUDO SERIA DIFERENTE.

A MINHA VIDA LEVARIA OUTRO RUMO.
SEM TI,FUI OBRIGADA A REGRESSAR
A PORTUGAL.
A FAMILIA ME ESPEROU
COM MEUS AVÓS VIM HABITAR.
TINHA CARINHO,MAS NÃO TINHA O TEU AMOR.

O PAI DEU-ME TUDO,MAS....
NÃO ME DEU AMOR DE PAI.
SEI QUE UM DIA,ESTEJAS ONDE ESTIVERES
EU VOU TE ENCONTRAR
O MEU AMOR É TEU
MINHA MÃE.

sábado, 1 de abril de 2017

SE EU PUDESSE TRINCAR A TERRA TODA!!


Se Eu Pudesse Trincar a Terra Toda
Se eu pudesse trincar a terra toda
E sentir-lhe um paladar,
Seria mais feliz um momento ...
Mas eu nem sempre quero ser feliz.
É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva ...
O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente é belo e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja ...
Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XXI"
Heterónimo de Fernando Pessoa