Acerca de mim

A minha foto

..Se as flechas perfuram o corpo,

as palavras podem trespassar a alma...



quinta-feira, 4 de outubro de 2018

O QUE FAZER??



"O QUE FAZER?
Estás cansada ? As tuas mãos feriste
E a dor do corpo é demais sentida?
Descansa um pouco; quem não fica triste
Se um mal te atinge, não tem graça a vida...
A minh alma de me magoar insiste,
Quando ela vem, mostra-se enfurecida...
Logo depois dela atacar, desiste,
Seja qual for o mal, jamais se olvida!
Ninguém afronta uma tempestade;
Mas os que gostam de sentir saudade
De um bom amigo ou de um amor de autrora...
Deus! Deixa-me lembrar do meu passado,
Quando eu vivia sempre descansado,
Depois, porém, não sou o mesmo agora!.."
Moacyr A. Lorusso/ Fim de Tarde

BOM F DE SEMANA

segunda-feira, 27 de agosto de 2018



Agora
Agora que morri que importa que chores?
Que valem as lágrimas?
Para que quero as flores?
Onde estavas enquanto vivi?
Onde andavas quando chorei por ti?
Quando olhei o telefone a ver se ligavas?
Porque te esqueceste que existia,
no Natal. na Páscoa e nos meus anos?
Alguma vez perguntaste se precisava de ti?
Se estava bem?
Sabes?
Precisava de ti
de um beijo
de um abraço
de uma palavra
de um recado
Porque sabes meu filho(filha)?
Nunca vos esqueci
Nunca deixei de vos amar
Levei-vos dentro de mim
Sim...
Nove meses no meu ventre
porque eu quis e deixei
porque vos quis dar a vida e dei
Por isso sempre esperei a vossa visita
Quando não estava bem esperava ouvir a vossa voz
Pobre de mim!
Agora
Agora que morri
Agora que parti com a alma num punho
carregada de dor e saudade
Chorando o vosso abandono
Agora as flores sobram
As flores...as velas e as lágrimas
Agora
Agora é tarde
Agora o tempo acabou
morreu quando morri
AGORA
Nela.
@Reservados todos os direitos de autor
19 de Fevereiro de 2017. 

sábado, 26 de maio de 2018

ONTEM!!!!


Ontem, quando nos conhecíamos,
perdemos muito tempo.
Ontem, quando nos reconhecíamos,
deixamos o tempo se perder.
Hoje, só nossos olhares se entendem,
num infinito, num vazio de ideias,
num passado palpável, fragmentado,
cheio de cheiros, trechos de músicas,
cabeças de bonecas, latidos.
Amanhã, sei lá...
Não. Sei sim.
Nos conheceremos mais,
nos reconheceremos sempre,
como se naquele voo, nunca tivéssemos largado nossas mãos.
Como se naquele sonho, conseguisse ter segurado você.
Como se naquela manhã, você sempre estivesse lá.
Como o sol. Com aqueles olhos grandes. Brilhantes.


A.D.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

O MEU PAÍS....


O MEU PAÍS
Dói-me no peito o meu país,
a terra sem pão, ao abandono
o mar cinzento de lágrimas e sal
impiedoso tempo que secou
as fontes ancestrais de Portugal.
Povo agrilhoado, pátria doente.
Não há maior dor do que sofrer
a angústia de não saber
se há vida para além deste presente.
Barco encalhado nas arribas da dor
voltarás a levantar o mastro
e a vencer o novo adamastor?
Recolha Poética (1954-2017)
António Arnaut | Penela, Cumeeira, 28 de janeiro de 1936 – Coimbra, Santo António dos Olivais, 21 de maio de 2018 
PAZ Á SUA ALMA!!!

domingo, 20 de maio de 2018

DE VOCÊ ME LEMBRO MAIS!!!!


Tem lugares que me lembram
Minha vida, por onde andei
As histórias, os caminhos
O destino que eu mudei...

Cenas do meu filme
Em branco e preto
Que o vento levou
E o tempo traz
Entre todos os amores
E amigos
De você me lembro mais...
Tem pessoas que a gente
Não esquece, nem se esquecer
O primeiro namorado
Uma estrela da TV
Personagens do meu livro
De memórias
Que um dia rasguei
Do meu cartaz
Entre todas as novelas
E romances
De você me lembro mais...
Desenhos que a vida vai fazendo
Desbotam alguns, uns ficam iguais
Entre corações que tenho tatuados
De você me lembro mais
RITA LEE

quinta-feira, 17 de maio de 2018

FILHA!!!


FILHA
Meu ventre foi a tua  morada
Tua alma até hoje me guarda
Nas minhas lágrimas refletiu -se o teu sorriso
Teu corpo quente em silêncio calou meu grito
Nasceste bendito fruto de tua mãe
Filha pra uns, amor para os outros.
Bendita a filha que acolheu o meu espírito
E ensinou que só o bem abre os caminhos.
Cresceste pisando um  chão, em vão!
Encontrei flores e alguns espinhos.
Valorizei cada percurso, cada pedra nessa vida estrada,
Com  mimnhas mãos  apoiei teus passos
Sei que nada é ao acaso
Cada coisa tem seu devido tempo,
Tudo foi obra do Divino
E alimento assim meu  sofrimento.
Foste o Anjo, quando na  terra esconde as asas.
Dádiva ímpar, luz por natureza de essência inestimada
TUA  MÃE.

17/05/20018