SOU EU PRÓPRIA!!!

A minha foto

..Se as flechas perfuram o corpo,

as palavras podem trespassar a alma...

(Umberto Ec

EU DIGO:

SERÃO SEMPRE BEM-VINDOS AO MEU ESPAÇO.
MUITO OBRIGADA PELA VOSSA VISITA

.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

MEDOS!

Imagem da Net

Os medos

O Sol brilhava e convidava
a caminhar
e a soltar os medos que me afligem.

Andei,
andei e fui parar
ao bosque onde sei que há lobos maus.

Encostei-me à árvore mais frondosa,
a tal que não se confunde
com a floresta,
e acariciei os raios de Sol
que por ela penetravam destemidos.

Estava tão feliz e sem medos!
Libertei a minha imaginação
pelo que passei e pelo que passo agora.
Tinha como ouvinte
a brisa suave que vinha directa
ao meu coração.

Pensei nele, porque não?
Ele também pensou em mim
Andamos em sintonia, é inevitável...

Despedi-me da árvore
prometendo voltar brevemente
para absorver o Sol de Inverno
que amputa os medos
do lobo mau da minha mente.
Betinha Correia

MEU CORAÇÃO TARDOU!!



Meu coração tardou

Meu coração tardou. Meu coração
Talvez se houvesse amor nunca tardasse;
Mas, visto que, se o houve, houve em vão,
Tanto faz que o amor houvesse ou não.
Tardou. Antes, de inútil, acabasse.

Meu coração postiço e contrafeito
Finge-se meu. Se o amor o houvesse tido,
Talvez, num rasgo natural de eleito,
Seu próprio ser do nada houvesse feito,
E a sua própria essência conseguido.

Mas não. Nunca nem eu nem coração
Fomos mais que um vestígio de passagem
Entre um anseio vão e um sonho vão.
Parceiros em prestidigitação,
Caímos ambos pelo alçapão.
Foi esta a nossa vida e a nossa viagem.
 
Fernando Pessoa 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

NO MAR....





No mar das desilusões,
procuro uma fantasia,
uma somente,
para não perecer.
No Outono da vida,
não é fácil navegar
e remar
no nosso próprio viver
sem encontrar essa verdade,
ainda que de pele fictícia.



Betinha Correia...

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

A FUGA




Fuga

Quando te debruças 
nas planícies sem vento
ou em vertigens de inquietações,
é dos meus dedos
que nascem carícias
ou apelos,
no corpo ou na alma, em ti.
Do meu outono, és primavera
tão sensual a enfeitiçar-me
que o meu coração se arruína
e dilata,
e o vinho do céu destilado por ti,
circula por mim,
tornando a minha carne desperta.
E vou fugindo ao inverno e ao frio
no adolescente com asas que,
sempre que é dia,
da minha boca voa para ti.


Poema: Nilson Barcelli © Novembro 2013
(Talvez aproveite A FUGA por uns tempos)

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Um homem.Uma mulher!!!.



Um homem
Uma mulher
Unidos por um mesmo querer
Por uma mesma vontade
Vontade de amar intensamente
Amar de verdade


Duas vidas distintas
Dois caminhos diferentes
Que unidos foram pelo destino
Que se apaixonaram loucamente


Um amor incomum
Que vence qualquer distância
Amor de alma
Amor distante

Amor grande
Gigante
Que cresce a cada instante

Ambos desejam amar
Se entregar completamente
Matar a vontade
Tirar do peito a agonia
Arrancar do peito a saudade
Saudades que sentem
Saudade sofrida

Um homem
Uma mulher
Sentindo
Vivendo
Um amor além da vida.

Nanda Costa


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

ESCUTA O SOM...




 Escuta o som
talvez seja bom
ouve o teu coração
interpreta a canção

É como se tivesses o mundo na tua mão
tudo ao alcance de um toque
é como uma paixão
sempre a espera que alguém volte
e a oiça com coração
e veja o seu coração

O soar do saxofone
é como o mar
o tocar do fagote
és tu a sonhar
em algo que te toque
na tua mão
e que te leia o coração

vejo te na clave de sol
os teus olhos são como o sol
o teu olhar é lindo
é como o som do violino

escuta a musica
acredita ela transforma
a sentires te única
ela transforma te em ti

se tivesse que escolher uma nota
algo que te toca
e te põe lá
seria o sol numa clave de fá

é o som da tua vida
ajuda te todo o dia
bem ao mal é a tua rotina

queria te dedicar uma peça
num instrumento qualquer
algo que te não te esqueça
que fui eu que a toquei
e que foi por ti que me esforcei

Em suma a musica
é como viver
e eu toco a
só para te ter

Cowmann