EU DIGO:

SERÃO SEMPRE BEM-VINDOS AO MEU ESPAÇO.
MUITO OBRIGADA PELA VOSSA VISITA

.

sexta-feira, 28 de março de 2014

A CIÊNCIA DO AMOR




A CIÊNCIA DO AMOR
O amor é um acordo que nos escapa
premissas traficadas sem certeza noite fora
em casas devolutas, em temporais, em corpos que não o nosso
aluviões para tentar de forma contínua
num sofrimento corrosivo que ninguém consegue
não chamar também de alegria
Pensamos que quando chegasse as nossas vidas acelerariam
mas nem sempre é assim:
há emoções que nos aceleram
outras que nos abrandam
Um mês ou um século mais tarde
movem-se ainda,
tão subtilmente que não se notam

:,  

sexta-feira, 21 de março de 2014

MARCAS ETERNAS...





MARCAS ETERNAS

Têm olhares que marcam a vida da gente...
Têm sorrisos que deixam sinais eternos...
Têm palavras que amolecem qualquer coração, 
Têm vozes que nos enternecem e permanecem pra sempre,
Têm expressões que nos arrebentam a alma e nos arrebatam...
Têm abraços que aconchegam seres tão próximos que se tornam irmãos...
Têm apertos de mãos que prendem uma amizade imortal...
Tem gente que quando entra na vida da gente vira-a de pernas pro ar...
...e ficamos perdidos de felicidade.
Tudo se torna uma manhã iluminada...
...e quando passa deixa só saudade.

Pe. Helder José C.Ss.R.
 

sexta-feira, 14 de março de 2014

EU SEI...NÃO TE CONHEÇO...




Eu sei, não te conheço mas existes.
por isso os deuses não existem,
a solidão não existe
e apenas me dói a tua ausência
como uma fogueira
ou um grito.

Não me perguntes como, mas ainda me lembro
quando no outono cresceram no teu peito
duas alegres laranjas que eu apertei nas minhas mãos
e perfumaram depois a minha boca.

Eu sei, não digas, deixa-me inventar-te.
não é um sonho, juro, são apenas as minhas mãos
sobre a tua nudez
como uma sombra no deserto.
É apenas este rio que me percorre há muito e deságua em ti,
Porque tu és o mar que acolhe os meus destroços.
É apenas uma tristeza inadiável, uma outra maneira de habitares
Em todas as palavras do meu canto.

Tenho construído o teu nome com todas as coisas.
tenho feito amor de muitas maneiras,
docemente,
lentamente
desesperadamente
à tua procura, sempre á tua procura
até me dar conta que estás em mim,
que em mim devo procurar-te,
e tu apenas existes porque eu existo
e eu não estou só contigo
mas é contigo que eu quero ficar só
porque é a ti,
a ti que eu amo.


JOAQUIM PESSOA

sexta-feira, 7 de março de 2014

UM ENCONTRO NUM BAR!!!!




Prova que é bom, é trova ao luar
Veronica Almeida e Abilio Fernandes

Um encontro num bar
Numa noite de magia
Numa roda de amigos
Ouvindo Pura Poesia...

E um sibemol
Soltando as amarras
Viola ao por do sol
O canto das cigarras.

Um velho barco ondulando
na rede do pescador
E um vento leve soprando
Uma canção de amor... 




O vento

Por mais que tente, o vento
não consegue adormecer
se não tiver nada para ler.
Seja uma folha de tília,
de bambu ou buganvília.

É por isso que o vento
arrasta folhas consigo,
até encontrar um abrigo,
onde possa adormecer.
- Arrastou até a folha,
onde eu estava a escrever

Jorge Sousa Braga, 2002