EU DIGO:

SERÃO SEMPRE BEM-VINDOS AO MEU ESPAÇO.
MUITO OBRIGADA PELA VOSSA VISITA

.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015



Quando
Coral a capela!
A areia pareceu papar
Naquele instante,
Eco visionário.

Um gole de silêncio
Um gole de solidão,
D’outro d’um verso
A ser versado, enfim,
Um poema ainda
Sem poesia.

Caminho de flores,
Janelas em tons nostálgicos
Como a melodia
Da camisola longa deixando
O corpo a pele nua, o entalhe
Em tons de amar.

Auber Fioravante Júnior
 

2 comentários:

  1. Boa noite Betinha.
    Em tons de amar tudo fica belo, belo versos. Uma linda semana. Forte abraço.

    ResponderEliminar