EU DIGO:

SERÃO SEMPRE BEM-VINDOS AO MEU ESPAÇO.
MUITO OBRIGADA PELA VOSSA VISITA

.

terça-feira, 10 de abril de 2012


'Bárbara, Bonita Scrába' - Traduzido do Poema Original de CAMOES.


(Traduzido pelo poeta Eugénio Tavares – 'Poesia na Língua d' Terra' - para Lingua Creoula.

Comprova-se, mais uma vez, a plasticidade da língua caboverdiana ao se traduzir um Camões lírico e só Eugénio Tavares e a sua variante doce da Brava se prestariam a isso.)



Quêl bonita scrába,

Qui teném câtibo,

Pamô n’ dál nha bida,

Cá crê pan stâ bibo.

Tê hoje n' c ôlhâ rósa

Num môta berdinho,

Qui mé na nhá olho

Parcém más sabinho.


Nim ramo na campo,

Nim strella na ceu,

N' ta áchâ tam frumóz'

Cumâ nha crê cheu.

Rôsto só di sel;

Olho madornádo,

Preto, stancadinho,

Má sem ser misiádo!


Um dónar cu bida

Stá nel ê mórádo`

Pâ ser sinharinha

Di quem qu' é marrádo.

Cabillinho preto,

N' dé gente bóz'

Ta perdê entender

Mâ lôro é frumóz'.



Arinho tam sábe…

Pritura de amôr,

Qui nebe jurál

Que a neve lhe jura

M’ el ta trocá côr.

Mansura contente,

Má séria lá mé...

Ta parcê bem stranho,

Má brabo el cá é!


Arinho dómádo

Qui ta mansâ mar:

Imfim n' el scançâ

Tudo nha pêzar.

Es ê quel câtiba

Qui teném câtibo;

N' pô n' sta bébé n' el

N' al lidâ n' stá bibo.

.............................

> Eugénio de Paula Tavares, (Brava, 18 de Outubro de 1867 – 01 de Junho de 1930), in Xavier da Cunha, Pretidão de amor. Endechas de Camões a Barbara Escrava, Seguidas da Respectiva Tradução em Varias Linguas e Antecedidas de um Preambulo, Lisboa 1893

Sem comentários:

Enviar um comentário